PARTIDO HUMANITÁRIO NACIONAL - PHN ESTÁ LEVANTANDO UMA CAMPANHA EM BUSCA DE ASSINATURAS. SE VOCÊ FOR CONVIDADO POR ALGUÉM PARA ASSINAR, ASSINE. COM ISSO ESTARÁ DANDO APOIO AO PHN QUE JÁ EXISTE EM QUASE TODO BRASIL E EM LARANJEIRAS/SERGIPE.

23/06/2016

O Cristão na Política II

*Por Carlos Alberto
O que acontece quando a política é na igreja


Há quase quatro anos fui candidato. Um pastor resolveu levar meu nome político para a igreja por entender que é melhor votar em um evangélico que outro que não seja. Ele disse-me que a discussão entre os irmãos foi grande e gerou muito tumulto a ponto de um deles se retirar da igreja.  Acredito que, se o pastor líder da igreja já viesse falando nesse assunto mais tempo, com certeza a igreja aceitaria falar sobre o assunto, pois a maioria das coisas gira em torno de política. Até mesmo para escolha do titulares da igreja a exemplo do presidente, vice-presidente, secretário e tesoureiro – que se tem dentro de uma igreja. Como é o processo de escolha das pessoas que irão compor esses cargos, que é a diretoria executiva da igreja? Pois bem, seja qual for o critério de escolha trata-se de uma eleição, E isso não é política? Claro que sim. Há aqueles em que votam contra como os que votam a favor. No final, a maioria vence (como sempre é assim). É assim em qualquer processo de eleição.
Em muitos casos, o próprio irmão evangélico nos bastidores já tem uma pessoa para votar e vai agindo nas caladas junto aos demais irmãos implantando o político naquela igreja. Essa é uma das razões de não aceitar o nome que o pastor levou para apreciação. Tem casos que o irmão está apoiando pessoas que nem evangélicas são, por serem financiadas ou por algum tipo de benefício que recebe. Para mostrar força junto a seu candidato, ignora exatamente quando aparece outro e assim fica levando palavra que afastam o cristão do meio dos demais irmãos. Palavra como “política não é de Deus”, “o cristão não deve se envolver com política”, e tantos outros dizeres.
A Igreja é também uma escola que ensina, orienta, repreende e que educa procurando instruir a pessoa para a prática de boas ações, (II Timóteo 3:16-17). Então a igreja tem que falar em sexo conscientizando jovens e adolescentes bem como adultos; tem que falar em política, procurando conscientizar os cristãos sobre os pros e contra, e tantas outras coisas que se façam necessárias. Pois se não fizer isso, outros irão fazer de forma contrária – o que causará mais estrago ainda na vida da pessoa. Claro que um culto é um culto, não vai parar o culto para se falar em política! Cada caso é um caso, mas que principalmente os líderes de igrejas evangélicas precisam agir com sabedoria para tratar desse assunto ou quaisquer outros – sem que haja perca de membros. A Bíblia nos fala que devemos “Examinar tudo. Retende o bem”, (I Tessalonicenses 5:21). Aprendamos a ouvir tudo, mas absorver apenas o que é bom para nossa alma, para nossa vida.
Na política quem não presta são políticos que se deixaram levar pela corrupção e se corromperam. Será que numa igreja todos os fies são fies nos dízimos, nas ofertas, na igreja e com Deus? Claro que não! Tem cristão dentro da igreja que se corrompe, que envergonha a igreja e outras coisas mais. Da mesma forma existe na política. Então nem todos que estão na política são corruptos. E temos que prezar principalmente numa época como essa em que o país passa, por pessoas que verdadeiramente servem a Deus. Não como salvadoras da pátria, mas como pessoas que conhecem toda a Verdade e que não devem se corromper exatamente por conhecerem a Verdade. Mas se se corromperem? É um problema dela – que vai se ver com Deus. Quem conhece a Verdade e erra, o peso é bem maior!
A igreja não gosta de falar em política, mas no dia da eleição todos dessa e daquela igreja irão votar. E em quem irmão votar? Já parou para pensar nisso?
A maioria vota em ímpio. Foi assim eleição passada quando somamos todos os votos dos que foram candidatos evangélicos a época e vimos que o total não chegou a 600 votos entre quase os dez candidatos.
Meu irmão, minha irmã, desde quando o crente sai de sua casa em um pleno domingo para votar, ele já está participando de um processo político e o que é pior, elegem pessoas descompromissadas com a igreja e com o povo. A Bíblia nos diz, só para reforçar esse cristão que está pensando em votar em ímpios, que “enquanto o homem de Deus governa, o povo se alegra, mas quando o ímpio governa o povo geme” (Provérbios 29.2). E é exatamente o gemer que estamos vendo dia a dia a começar pelo governo federal junto a corrupção da Petrobrás e demais mazelas políticas, sem falar em outras esferas, citadas todos os dias pela televisão brasileira.
Você quer ajudar a sua cidade, seu Estado e seu País a viver bem? Então comece a pensar no seu irmão da fé e deixe seu líder religioso falar de política, quando necessário, em sua igreja. Lembra? “Examinai tudo. Retende o bem”, assim diz a Bíblia. Então ouça e escute tudo e absorva o que for melhor para você e sua igreja. Não deixe que a iniquidade de uns, possa tirar você da presença do Pai. Nada possa lhe tirar da presença do Pai: “Porque estou certo de que, nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem as potestades, nem o presente, nem o povir, nem a altura, nem a profundidade, nem alguma outra criatura nos poderá separar do amor de Deus, que está em Cristo Jesus nosso Senhor”, (Romanos 8:38-39). Então ouça e absorva apenas o que for bom. O que for ruim deixe pra trás, mas não precisa sair da igreja ou da presença do Pai.


*Carlos Alberto é... Pastor, possui curso em Teologia, Jornalista, Professor, Técnico em Informática, estudou o curso de direito até o 8º período, 

Nenhum comentário:

Postar um comentário