PARTIDO HUMANITÁRIO NACIONAL - PHN ESTÁ LEVANTANDO UMA CAMPANHA EM BUSCA DE ASSINATURAS. SE VOCÊ FOR CONVIDADO POR ALGUÉM PARA ASSINAR, ASSINE. COM ISSO ESTARÁ DANDO APOIO AO PHN QUE JÁ EXISTE EM QUASE TODO BRASIL E EM LARANJEIRAS/SERGIPE.

25/03/2015

Qual a melhor forma e momento de se aposentar?

por Samy Dana
Folha Online - 25/03/2015 - Post em parceria com Adriano Reis

Com as novas regras para a aposentadoria no Brasil, homens e mulheres que desejarem se aposentar precisam entender como funciona o fator previdenciário e como ele pode ser usado a seu favor.
O fator previdenciário é um índice que considera a idade, o tempo de contribuição e a expectativa de vida do contribuinte no momento em que ele busca se aposentar. Importante saber que esse fator incide, obrigatoriamente, sobre as aposentadorias por tempo de contribuição e é opcional para as aposentadorias por idade. Ou seja, o fator previdenciário, no caso das aposentadorias por idade, só será aplicado se fizer com que o valor do benefício fique maior do que sem ele.
Principais exigências das aposentadorias por idade e por tempo de contribuição:
Por idade
  • Os homens poderão requisitá-la a partir dos 65 anos;
  • As mulheres poderão requisitá-la a partir dos 60 anos;
  • São exigidos, para ambos, 15 anos de contribuições (180 contribuições)
Por tempo de contribuição
  • 35 anos contribuídos para os homens
  • 30 anos contribuído para as mulheres
  • O uso do fator previdenciário é obrigatório

Nas aposentadorias por tempo de contribuição, o fator previdenciário costuma reduzir o valor do benefício. Isso ocorre na maioria dos casos pois, normalmente, o contribuinte ainda não tem idade para se aposentar e sua expectativa de vida ainda é longa.

Já no caso das contribuições que ultrapassam 30 anos, o fator passa de redutor para amplificador da aposentadoria. O INSS proporciona um fator mais atrativo nesses casos, pois a instituição estima que terá que pagar o benefício por menos tempo a esses contribuintes devido à idade.

Cálculo do valor do benefício

Para calcular o valor do benefício a ser recebido, você precisa conferir qual é o seu fator previdenciário e multiplicá-lo pela sua média salarial. Para o cálculo dessa média salarial, o INSS considera todos os salários desde julho de 1994 (corrigidos pela inflação) e descarta os 20% menores salários, considerando apenas os 80% maiores. Segue:

Fator Previdenciário (FP) X Média Salarial (MS) = Valor do Benefício (VB)

Exemplo 1 - Homem, 50 anos, 35 anos de contribuição, FP (0,5856), MS (R$2.000,00)
0,5856 X R$ 2.000,00 = R$ 1.171,00 (valor do benefício)

Exemplo 2 - Homem, 58 anos, 35 anos de contribuição, FP (0,7863), MS (R$2.000,00)
0,7863 X R$ 2.000,00 = R$ 1.572,60 (valor do benefício)

Exemplo 3 - Homem, 65 anos, 35 anos de contribuição, FP (1,0541), MS (R$2.000,00)
1,0541 X R$ 2.000,00 = R$ 2.108,20 (valor do benefício)

Segue um simulador do fator previdenciário desenvolvido pelo IEPREV (Instituto de Estudos Previdenciários).

Nos exemplos 1 e 2, o fator previdenciário é obrigatório, pois o contribuinte está se aposentando por tempo de contribuição. No exemplo 3, o contribuinte já pode optar por uma ou outra modalidade, pois, além de ter o tempo mínimo exigido de contribuição (35 anos), já tem também a idade mínima exigida (65 anos), podendo, assim, optar por usar o FP ou não.

Importante destacar que existe um teto de valor pago pelo INSS para as aposentadorias, que é de R$ 4.390,24. Em nenhuma situação esse teto poderá ser ultrapassado, nem mesmo se o fator previdenciário funcionar como um amplificador do benefício pleiteado. Por outro lado, o fator previdenciário pode ser importante para garantir que o benefício pleiteado se aproxime ou chegue ao teto do INSS.

Faça a conta da sua média salarial, considerando a sua idade e o tempo de contribuição que você já tem. Feito isso, cruze essas informações com o fator previdenciário referente ao seu perfil e o resultado mostrará o melhor caminho a seguir.


Nenhum comentário:

Postar um comentário