PARTIDO HUMANITÁRIO NACIONAL - PHN ESTÁ LEVANTANDO UMA CAMPANHA EM BUSCA DE ASSINATURAS. SE VOCÊ FOR CONVIDADO POR ALGUÉM PARA ASSINAR, ASSINE. COM ISSO ESTARÁ DANDO APOIO AO PHN QUE JÁ EXISTE EM QUASE TODO BRASIL E EM LARANJEIRAS/SERGIPE.

19/02/2015

Jovens armados invadem paróquia, agridem padre e quebram imagens de “ídolos”

Um novo caso de intolerância religiosa contra católicos foi registrado no último sábado, 14 de fevereiro, quando um grupo de jovens armados invadiu uma paróquia e agrediu o padre, além de destruir as imagens dos santos da religião.
O pároco da Igreja Santa Luzia, em Maceió (AL) disse que viveu momentos de desespero quando foi feito refém pelos jovens, que por uma hora o agrediram e mantiveram cativo: “Eles quebraram as imagens falando que eram de ídolos”, disse o padre Paschal Prosper, de 62 anos, que se recuperava de uma cirurgia.
Outras 10 pessoas que estavam na igreja também foram mantidas reféns e agredidas, de acordo com informações do G1.
O padre Paschal está à frente da paróquia há 20 anos, e embora já tenha sido assaltado diversas vezes, disse que nunca havia vivido uma situação como essa. “Os assaltantes deram tapas em todos, são jovens fortes e violentos. Não sei quantos foram porque fiquei nervoso e, como fiquei deitado no chão, não deu para ver”, contou à reportagem.

A ação violenta e desrespeitosa é fruto da falta de temor a Deus e noção do valor da vida: “Fiquei uma semana no hospital, pois a minha pressão baixou. Tiveram que colocar marca-passo e eu cheguei na casa paroquial na sexta-feira, e no sábado aconteceu isso”, lamentou, acrescentando que apesar de estar bem, tem medo de que os marginais voltem.
Os itens roubados durante a invasão da igreja foram um carro Gol, de um casal de fiéis que estava no local, celulares, um computador desktop, um notebook, e objetos pessoais das vítimas. Posteriormente, a Polícia Militar localizou o carro abandonado em um bairro vizinho. No entanto, os policiais não têm pistas de quem seriam os assaltantes ou onde encontra-los.
Recorrência
Diversos casos de invasão de igrejas católicas e destruição de imagens têm sido registrados Brasil afora. Um dos casos mais violentos foi registrado em Cajazeiras (PB), quando um grupo de evangélicos invadiu uma igreja, quebrou a imagem de Aparecida e urinou sobre ela.
À época, o responsável pela paróquia Santo Antônio, padre Quirino, acusou evangélicos da cidade de promoverem perseguição religiosa: “Estão fazendo a cabeça das crianças para repudiarem Nossa Senhora. Estão também chamando os católicos de baratas pretas”, relatou o padre, que denunciou os fiéis da denominação do pastor Luiz Lourenço, conhecido como Poroca, como responsáveis pelas agressões e vandalismo.

Gospel mais

Nenhum comentário:

Postar um comentário