ATENÇÃO: TDOAS AS SEXTAS, AS 14H00, NA SEDE DA ASSOCIAÇÃO DO POVOADO MACHADO EM LARANJEIRAS - SERGIPE, VEM ACONTECENDO A REUNIÃO DO FORTALECIMENTO ESPIRITUAL. SE VOCÊ TEM INTERESSE EM MUDAR A SUA VIDA, PARTICIPE DESSAS REUNIÕES!!!

28/01/2014

Caixa derruba juros do consignado do INSS



Promoção vale para todos os aposentados e também os pensionistas que abrirem conta no banco
Os aposentados e pensionistas do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) que fizerem empréstimo consignado no banco terão taxas de juros 8,8% menores. Até o dia 7 de fevereiro, a taxa será de 1,55% ao mês, nas operações de 60 meses. Atualmente o banco cobra 1,7%. 
Num empréstimo de R$ 1 mil, por exemplo, o valor da prestação, que é de R$ 26,72 com taxa de 1,70% , sairia por de R$ 25,72 com a taxa de 1,55% ao mês. Com a redução, o aposentado vai pagar o equivalente a 2,3 prestações a menos.
O teto legal para a taxa de juros dos empréstimos com desconto na folha do INSS continua em 2,14%, desde maio de 2012, apesar da insistência das entidades de aposentados em reivindicar a redução das taxas ou juros zero para a categoria. Com a taxa de 2,14%, o aposentado que faz um empréstimo de R$ 1 mil em 60 meses paga R$ 785 só de juros. Pela taxa reduzida da Caixa, o valor total dos juros é de R$ 543,20. Ou seja, R$ 241,80 a menos.

Uma das condições para ter a taxa menor na Caixa é receber o benefício no banco. Para fazer a migração da conta de recebimento, o aposentado precisa abrir uma conta na Caixa e depois ir até o banco de origem para solicitar a transferência do benefício. O próprio banco informa o INSS sobre a mudança de instituição. O processo é gratuito.
O INSS paga todos os meses 17,2 milhões de aposentadorias e 7,1 milhões de pensões.
A redução da taxa na  Caixa Econômica Federal, mesmo temporária, pode estimular a concorrência e provocar a redução em outros bancos.
O Banco do Brasil informou que avalia a redução das taxas dos concorrentes para estabelecer juros competitivos. Hoje a menor taxa do consignado, para prazos curtos de até seis meses, é de 0,98% ao mês.
“Mesmo com taxas menores, o empréstimo não resolve o problema do aposentado. Precisamos de um benefício digno. O nosso reajuste neste ano foi de apenas 5,56%. As despesas do dia a dia subiram muito e o aposentado fica refém do empréstimo”, disse Warley Martins, presidente da Confederação dos Aposentados.

Fonte: Terra - 27/01/2014

Nenhum comentário:

Postar um comentário